Menu

Atleta do UFC fala sobre a árdua missão de ser sparring de Junior Cigano

28 de Novembro de 2018

O brasileiro Junior Cigano é conhecido pelo seu excelente boxe e o forte poder de nocaute a cada golpe. A prova disso é que seu cartel tem 19 vitórias, 13 delas por nocaute. Entrar no octógono com ele é sinônimo de ser apagado com um único soco. E é esse repertório que explicamos que torna a vida do também atleta do UFC Marcelo Golm ainda mais complicada, já que ele é o principal parceiro de treino de Cigano.
Mais UFC Adelaide: Cigano é o mais aplaudido em Treino AbertoCerimônia de boas-vindas com aborígenesBrasileiros na semanaMotivos para verCard completo

Cigano e Golm treinam juntos na America Top Team e estão na Austrália desde a última quinta-feira para a luta do ex-campeão dos pesados contra Tai Tuivasa no UFC Adelaide, neste sábado. Aos 26 anos, Marcelo Golm era fã do parceiro de treino antes mesmo de começar a lutar profissionalmente. Para ele, e para toda sua família, a oportunidade de ajudar Cigano, apesar de todo o perigo envolvido, é questão de orgulho.

"Eu e minha mãe assistíamos o Pride e o UFC desde que eu era criança. Eu nem era lutador e já acompanhava todos esses caras. Surgiu a oportunidade de treinar com ele e minha mãe deu uma única dica: 'levanta a guarda, porque a mão dele é pesada'. E conselho de mãe a gente não pode negar, né?! Estou seguindo à risca", brinca Golm.

Os treinos de sparring entre os brasileiros costumam acontecer nas quintas-feiras nos Estados Unidos, mas conseguimos acompanhar um desses combates na segunda-feirae, em Adelaide. Foram cerca de 20 minutos de trocação pura, com Marcelo Golm variando os golpes e Junior Cigano seguindo as dicas do treinador Luiz Dórea para melhorar sua movimentação no octógono.

Golm já lutou três vezes no Ultimate, uma vitórias e duas derrotas, mas fala com toda a certeza que nunca enfrentou um adversário tão duro quanto o seu sparring.

"Não é fácil treinar com ele, viu? É um cara muito bom, tem a mão pesada, muito rápido se movimentando. É complicado colocar o protetor bucal e olhar para ele do outro lado do octógono no treino, parece até que estou indo para luta. O seu golpe mais forte é o overhand. Se deixar entrar, é complicado ficar em pé", diz Golm.

O fato é que Marcelo Golm tem certeza que Junior Cigano entrará no octógono neste sábado para conseguir mais um nocaute e ganhar uma chance de disputar o cinturão mais uma vez. E ele sabe que dessa vez o seu companheiro de treino voltará a ser o campeão.

O UFC Adelaide será transmitido pelo Canal Combate neste sábado (1) a partir de 22h (horário de Brasília). Além de Junior Cigano, o evento contará com Maurício Shogun lutando contra Tyson Pedro e Wilson Reis enfrentando Ben Nguyen.