Menu

Para voltar ao Rio, Mutante confessa que aceitou luta sem perguntar adversário

11 de Abril de 2018

A cidade do Rio de Janeiro é um lugar importante para a carreira do paulista Cezar Mutante.

Foi lá que ele fez sua primeira luta profissional de MMA, em 2007, e também onde, cerca de cinco anos depois, fez a luta que lhe garantiu um lugar na primeira edição do TUF Brasil - que mais tarde venceria, garantindo uma vaga no plantel do UFC.

Compre já seu ingresso para o UFC 224

Por isso, ao saber que tinha uma proposta para lutar na Cidade Maravilhosa, dia 12 de maio no UFC 224, o peso-médio nem quis saber contra quem seria antes de dizer sim.

“Eu sempre sustento o que falo: eu não escolho luta. Se colocar para mim um campeão mundial ou um estreante, vai ser a mesma coisa. Quando o UFC me ofereceu a luta e falou que era no Rio, já falei para mandarem o contrato, não quis nem saber quem era”, contou em entrevista à reportagem do UFC Brasil, “Considero o Rio de Janeiro como minha segunda casa”.

Mais UFC 224: Lineker espera oponente confianteMackenzie lutará com bandeira do Brasil | Saiba tudo sobre o evento

Após a emoção inicial, o brasileiro descobriu que seu adversário seria Karl Roberson, um promissor kickboxer de 27 anos, com um cartel invicto com seis vitórias, sendo cinco delas por nocaute ou finalização, e que estreou no octógono no último mês de novembro, finalizando Darren Stewart ainda no primeiro round.

“Todos os que estão no UFC são os melhores do mundo na categoria. O Karl Roberson é um cara duríssimo, jovem, tem um currículo enorme no kickboxing e está fazendo um bom trabalho no MMA. Espero uma luta bem competitiva”, disse o brasileiro sobre o oponente.

Com quatro vitórias em suas últimas cinco lutas - e uma derrota bastante contestada no período - Mutante chega confiante para o duelo e acredita que a maior experiência possa ser um diferencial a seu favor no combate.

Mas se Roberson, que apenas uma vez na carreira chegou ao segundo assalto, propor uma luta franca, o brasileiro também aceitaria sem hesitar.

“Toparia, por que não? Eu gosto de me testar também. Eu vejo o MMA como um jogo de oportunidades. Pode ser que ele venha muito afobado e abra espaço para eu dar um nocaute nele. Tudo pode acontecer”, disse Mutante, “Eu me preparo para sempre enfrentar o pior. Estou pronto para lutar no chão, três rounds, um round… a questão é com ele, se ele está pronto para fazer o mesmo. Eu estou, sei das minhas habilidades, do meu potencial para enfrentar desafios”.

Proposta para Borrachinha segue de pé

Recentemente, Mutante demonstrou interesse em um duelo com o promissor Paulo Borrachinha, com quem trocou algumas farpas na internet e em entrevistas.

Mutante acabou recebendo outro combate, mas deixou claro que se o mineiro, atual 14º colocado no ranking dos médios, tiver interesse, a luta pode acontecer no futuro.

“Agora tenho um grande desafio que é o Karl Roberson e quero ir lá e liquidar essa fatura. Meu caminho e do Paulo Borrachinha foram diferentes nesse momento, enquanto sou um atleta que não escolho luta, topo qualquer parada, ele está escolhendo luta. Na cabeça dele, ele já é uma estrela, quer lutar contra o (Conor) McGregor, contra o Floyd Mayweather, então deixa ele. Eu falo para o UFC que estou à disposição para enfrentar qualquer um. Se for ele, pode mandar também que estou pronto”, disse o brasileiro.

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube