Menu

Marina Rodriguez promete "bagunçar" peso-palha e mira nocaute no UFC SP

12 de Setembro de 2018

Marina Rodriguez talvez tenha tido a entrevista de emprego mais rápida do mundo no Contender Series Brasil.

Com apenas 3m03s de luta, ela nocauteou Maria de Oliveira e, imediatamente ao descer do Octógono, foi parabenizada pessoalmente por Dana White, que quebrou o protocolo “invadindo” a entrevista pós-luta da brasileira - algo que o presidente do UFC não havia feito em nenhuma edição do programa. Neste momento, a gaúcha de 31 anos sabia que podia esperar o melhor.

"A princípio fiquei surpresa, mas apertei a mão dele pensei, 'Bom, fiz um bom trabalho e ele gostou', só depois fui descobrir que ele nunca fez isso antes”, contou Marina em conversa com a reportagem do UFC Brasil, “Nessa hora, tive quase certeza de que o contrato era meu, mas ainda precisava da palavra final do Minotauro, e aconteceu".

Mais UFC SP: Noite especial para 'Sheetara'Tudo sobre o evento

A chance de lutar na maior organização de MMA do mundo chega para Marina apenas seis anos após começar a praticar sua primeira arte marcial, o muay thai.

E apesar dos meros três anos de experiência como profissional nas artes marciais mistas, a lutadora, que chega ao Ultimate com um cartel invicto com 10 vitórias, trata com muita naturalidade o rápido desenvolvimento de sua carreira.

"Desde que eu fiz minha primeira luta amadora, todos os eventos em que meu Mestre (Marcio Malko) me colocava para lutar, ele tinha um plano”, disse, “Luta após luta, ele vai vendo o potencial e ajustando o que falta para cada atleta, e nisso ele me viu apta a estrear no profissional, em 2015”.

“Não tem como ser surpresa o que vem acontecendo, porque ele trabalhou muito, me fez acreditar nele, como ele acreditou em mim em todos os dias de treinamentos e todos os resultados positivos das lutas”, continuou, “A gente trabalhou muito para ter todos esses resultados".

E não demorou muito após a apresentação elogiada no Contender para que Marina recebesse a proposta para sua primeira luta no Octógono.

Ela ainda estava em Las Vegas após a gravação do programa quando foi convocada para encarar Randa Markos no UFC São Paulo, dia 22 de setembro: “Meu Mestre falou, ‘Vamos dar um show no Contender e vão te chamar para o UFC São Paulo’, ele previu isso”.

O duelo contra a 13ª colocada no ranking do peso-palha logo na estreia mostra que, de fato, as expectativas de Dana White são altas sobre a brasileira. E ela tem convicção de que conseguirá corresponder.

"O objetivo é sempre resolver da forma mais rápida, buscar o nocaute e quem sabe um bônus da noite”, disse, “Com esse bônus, a gente vai conseguir trabalhar mil vezes melhor, porque vamos estar bem remunerados para fazer acontecer. Aí, qualquer adversária que vier, vamos ter condições de fazer uma boa luta".

“Eu não quero entrar no UFC para ser só mais uma na multidão”, continuou, “Quero entrar para bagunçar a categoria. Sei que consigo fazer o que fiz no Contender e até melhor; é só me darem a oportunidade".

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube