Menu

Motivos para ver: UFC Moscou

11 de Setembro de 2018

Agendado entre o UFC 228 e o UFC São Paulo, o UFC Moscou pode não parecer, à princípio, a mais atrativa das edições do Ultimate em setembro; mas ainda assim existem excelentes motivos para você não querer perder o evento que acontece neste sábado (15) na capital russa. Estes são alguns deles.

Caldeirão

Estamos a pouco mais de uma semana do fim do verão russo e as temperaturas no país do gelo já estão caindo vertiginosamente, mas o clima promete ser muito quente no Estádio Olímpico de Moscou no próximo sábado. Isso porque esta será a primeira vez que o país de lendas como Fedor Emelianenko, campeões como Khabib Nurmagomedov e promessas como Zabit Magomedsharipov receberá o Octógono do UFC. Com um card repleto de atletas locais, em uma nação com tamanha tradição nos esportes de combate - não só MMA, como também boxe, wrestling e o tradicional Sambo -, podemos esperar um show à parte da torcida russa.

Confira o card completo do UFC Moscou

Um clássico duelo de estilos

A luta principal do evento será um clássico duelo entre um striker e um grappler, como nos tempos de vale-tudo, e que promete não chegar ao final dos 25 minutos programados. De um lado, o condecorado kickboxer Mark Hunt, ex-campeão do K-1, que conquistou 10 de suas 13 vitórias no MMA por nocaute; de outro, Aleksei Oleinik, faixa-preta de jiu-jítsu e Mestre em Sambo, que finalizou em 46 de suas 56 vitórias na carreira, incluindo os dois únicos triunfos via estrangulamento Ezequiel na história do Ultimate. Dois veteranos de excelência em suas modalidades de origem, que sempre buscam a vitória pela via rápida. Quem piscar, vai perder.

A volta de Nikita

Aos 26 anos de idade, o meio-pesado Nikita Krylov começa neste final de semana sua segunda passagem pelo UFC. A primeira teve altos e baixos, chegando ao fim em 2016, com um recorde de 6-3. Com mais experiência na bagagem, e após somar quatro triunfos consecutivos no circuito regional, o talentoso ucraniano volta ao Octógono com moral, encarando o quarto colocado da categoria, Jan Blachowicz, na luta co-principal do evento - um desafio à altura para provar se já pertence, ou não, à elite. Ah, e todas as 29 lutas da carreira de Nikita terminaram em nocaute ou finalização - ganhando ou perdendo, o espetáculo é certo.

Brasileiro em ação

Único brasileiro no card, o ex-desafiante ao cinturão dos meio-médios Thiago Pitbull tem um desafio interessante pela frente em Moscou. Vindo de derrota para Curtis Millender, o cearense de 34 anos foi encarregado de dar as boas-vindas ao Octógono a Alexey Kunchenko, um dos principais nomes locais, com um cartel invicto de 18 vitórias - 13 delas por nocaute.

Invasão russa

O UFC Moscou também será uma grande chance para conhecermos melhor alguns dos grandes talentos que têm surgido na região nos últimos anos. No card preliminar, estarão em ação nomes como Rustam Khabilov e Mairbek Taisumov (que já somam cinco vitórias seguidas cada um no Octógono), e Petr Yan e Ramazan Emeev, que estrearam há menos de um ano e já estão chamando atenção em suas respectivas divisões.

Tudo isso será transmitido ao vivo e com exclusividade pelo Canal Combate neste sábado a partir das 11h30 da manhã (horário de Brasília).

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube