Menu

O espetacular ano de Cris Cyborg

31 de Dezembro de 2017

A brasileira Cris Cyborg encerrou 2016 com nocautes sobre Leslie Smith e Lina Lansberg e deixou uma pulga atrás da orelha dos fãs: quando ela disputaria o cinturão dos penas? Após muita campanha nas redes sociais, a curitibana de 32 anos teve sua chance no UFC 214, em julho, e nocauteou Tonya Evinger no terceiro round.
Mais UFC 219: Nurmagomedov domina BarbozaMatheus Nicolau venceAssine o Canal Combate

Ela já desceu do octógono pedindo para enfrenta Holly Holm, ex-campeã dos galos e a mulher que chocou o mundo ao nocautear Ronda Rousey no UFC 193, em 2015. “Acho que a luta que mais faz sentido é realmente contra a Holm, garanto que todos os fãs gostariam de assistir a gente se enfrentando”.

Desejo atendido! A luta aconteceu na noite deste sábado e Cris Cyborg mostrou porque é considerada uma das melhores lutadoras do mundo ao vencer Holly Holm por decisão dos juízes. “Foi uma luta muito complicada, ela é muito rápida e conseguia bater e sair do meu raio de ação. Mas consegui sair com a vitória e vou levar o cinturão para o Brasil”, disse a campeã.

Além de vencer uma ex-campeã muito perigosa, Cris Cyborg fez sua primeira luta de MMA que durou cinco rounds e mostrou um altíssimo nível durante os 25 minutos. Vários jornalistas a questionaram durante a semana o que aconteceria se ela não conseguisse um nocaute rápido. Tranquila, ela respondia: “Vou mostrar que estou preparada para todos os rounds”. E mostrou!

O ano de 2017 com certeza ficará marcado na memória da brasileira Cris Cyborg e de todos os seus fãs. Mas se engana quem pensa que ela para por aí. Nos bastidores do UF 219 ela já começou a planejar sua próxima luta: contra a australiana Megan Anderson.