Menu

Olho Neles! As promessas do UFC 221

07 de Fevereiro de 2018

Após entrar em 2018 com um trio de shows em janeiro, fevereiro está repleto de eventos e pegando viagem na primeira visita para fora dos Estados Unidos no último final de semana, o octógono agora vai para a Austrália para o segundo evento numerado do ano.

Mais UFC 221: Formiga faz duelo decisivo | As melhores lutas de fevereiro

O primeiro card em Perth deveria ser liderado pela estrela nacional Robert Whittaker fazendo sua primeira defesa do título dos médios que ele conquistou no último inverno em Las Vegas. E apesar de Whittaker ter sido obrigado a se ausentar, o UFC 221 ainda terá uma grande luta principal entre Luke Rockhold e Yoel Romero pelo cinturão interino dos médios, enquanto a nação anfitriã ainda será representada por uma seleção dos melhores talentos do UFC no país.

Incluso neste grupo está um peso-pesado que vem de uma estreia fabulosa e vai em busca de sua segunda vitória no UFC, que abre esta edição do Olho Neles!

Tai Tuivasa

Com apenas 24 anos e um cartel intacto, existem muitas razões para se empolgar com a chegada de Tuivasa ao maior palco do esporte.

Ex-campeão do Australian Fighting Championship (AFC), “Bam Bam” ofereceu um pouco de seu potencial em sua primeira entrada no octógono, nocauteando Rashad Coulter com uma joelhada voadora no round inicial do duelo em Sydney no último mês de novembro. Essa performance fez todos se levantarem e perceberem a nova aquisição do UFC para a divisão dos grandalhões, e se ele continuar com performances como aquela, não vai demorar muito para que Tuivasa comece sua escalada na ladeira dos pesos-pesados.

Após despachar Coulter em sua estreia, Tuivasa tem um desafio mais difícil dessa vez e encara Cyril Asker no card principal. Um finalizador testado com o dobro da experiência de Tuivasa, o francês de 32 anos é o tipo de veterano que uma promessa precisa vencer para dar um passo à frente em sua carreira.

Este será um grande teste para Tuivasa, mas se ele fizer algo parecido com o que fez com Coulter, o australiano se confirmará como um dos nomes mais interessantes a chegar nos pesos-pesados nos últimos tempos.

Israel Adesanya

Com um cartel combinado de 66-6 somando três modalidades - boxe, kickboxing e MMA - o atleta de 28 anos nascido em Lagos, na Nigéria e residente na Nova Zelândia desde 2001 é um competidor testado nos esportes de combate. Enquanto a maior parte de sua experiência vem do kickboxing, Adesanya somou um cartel de 11-0 com 11 nocautes no MMA a caminho de sua estreia na organização neste final de semana.

Seu teste inicial no octógono é uma luta que provavelmente teria ocorrido em algum momento, já que ele enfrenta o ex-campeão peso-médio do AFC Rob Wilkinson, cuja própria sequência invicta de 11 lutas chegou ao fim em sua primeira experiência no octógono, em 2017.

Com um currículo recheado de nocautes, o potencial está lá para Adesanya causar impacto imediato na divisão até 84kg, começando por este final de semana em Perth.

Daichi Abe

Após ser chamado para o UFC depois de uma vitória por nocaute no segundo round sobre o veterano japonês Hiromitsu Miura em julho, Abe manteve sua sequência invicta intacta com um triunfo por decisão unânime sobre Hyun Gyu Lim em sua estreia no octógono dois meses depois.

Foi o tipo de performance que às vezes passa despercebida devido a tudo o que ocorreu naquela noite em Saitama, mas passar por um atleta com o dobro da sua experiência em sua primeira aparição no UFC não é fácil, e é exatamente o que Abe, de 26 anos, fez.

Neste final de semana o meio-médio de cartel 6-0 vai a Perth encarar o veterano australiano Luke Jumeau, que busca se recuperar de sua primeira derrota em mais de quatro anos. Assim como Lim, Jumeau tem muito mais experiência que Abe, tendo enfrentado os combatentes do UFC 221 Jake Matthews e Li Jingliang no passado.

Ser o atleta menos experiente não incomodou Abe em Saitama, e se ele conseguir lidar da mesma forma com sua luta contra Jumeau, o prospecto japonês se colocará em posição para dar mais um passo na competição daqui para frente.

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube