Menu

Olho Neles! As promessas do UFC Belém

29 de Janeiro de 2018

O primeiro mês da campanha do UFC em 2018 já ficou para trás, mas o show não pode parar e o octógono sairá dos Estados Unidos pela primeira vez neste ano no próximo sábado com o UFC Belém.

UFC Belém: Cadastre-se e saiba tudo sobre o evento

Liderado pelo confronto de pesos-médios entre o ex-desafiante (e ex-campeão meio-pesado) Lyoto Machida e o jovem ascendente Eryk Anders, com os pesos-galo John Dodson e Pedro Munhoz escalados para a luta co-principal, o card deste final de semana é mais um exemplo de um evento com vários nomes familiares e alguns jovens talentos querendo roubar a cena.

Aqui estão três destes nomes que vão em busca dos holofotes neste sábado. Olho Neles!

Priscila Cachoeira

Priscila tem a chance de fazer um sério barulho em sua estreia na organização, quando enfrentará a ex-desafiante ao cinturão peso-galo Valentina Shevchenko em um confronto pelo peso-mosca no card principal deste final de semana.

A representante da PRVT chegou pela via rápida ao UFC após passar por um turbulento caminho até encontrar o MMA. Os sonhos da adolescência de jogar vôlei deram lugar ao abuso de drogas e sua vida pessoal saiu de seu controle, mas Priscila eventualmente chegou ao muay thai. Dois anos e oito vitórias depois, ela vai pisar no maior palco do esporte.

Como sua parceira de treinos Jessica Andrade, “Pedrita” é uma lutadora agressiva que se preocupa igualmente em dar um show para os fãs e em sair com sua mão erguida, mas se for capaz de fazer ambos neste final de semana, ela se colocará instantaneamente na conversa pela disputa de cinturão da divisão mais nova do UFC.

Marcelo Golm

Em outubro, Golm causou uma boa primeira impressão no octógono, despachando Christian Colombo e conquistando uma vitória em sua estreia na organização, ampliando seu cartel para 6-0. Foi uma performance rápida e dominante que estabeleceu o brasileiro de 25 anos como um nome a se lembrar na divisão peso-pesado, e agora ele terá a chance de subir ainda mais na categoria ao encarar o veterano Tim Johnson.

Cinco vitórias no primeiro round levaram Golm ao UFC, e ele manteve essa sequência intacta contra Colombo, mas fazer o mesmo contra Johnson será uma tarefa muito mais difícil. O norte-americano é um wrestler resistente que sabe como usar seu tamanho para cansar os oponentes.

Tendo dito isso, Golm foi incrível em sua estreia, mostrando velocidade, mãos precisas e instintos contra Colombo, e se fizer algo parecido contra Johnson, a divisão peso-pesado terá um jovem para ficar de olho no desenrolar de 2018.

Damir Hadzovic

Após passar mais de um ano de molho após uma derrota em sua estreia na organização, Hadzovic voltou à ação em maio e aplicou um dos melhores nocautes do ano. Após dois rounds de ação ininterrupta contra Marcin Held, Hadzovic encaixou seu joelho na têmpora do polonês que tentava uma queda, nocauteando-o e levando o bônus de Performance da Noite.

Profissional desde 2011, Hadzovic foi apenas quatro vezes à decisão dos jurados em sua carreira, e em apenas duas de suas 11 vitórias. Ele venceu sete de suas últimas oito lutas e todas suas três derrotas profissionais foram contra atuais ou ex-atletas do UFC.

Agora, o lutador de 31 anos faz sua primeira viagem pelo Atlântico para lutar no hemisfério ocidental em um confronto com o veterano brasileiro Alan Patrick que deve produzir faíscas. Ele disse após sua vitória sobre Held que está “aqui pela honra e pela glória, e não pelo cinturão”, e Patrick deve estar disposto a dançar com ele nesse sentido.

Se Hadzovic continuar a encerrar suas lutas de forma espetacular como contra Held, ele terá a adoração dos fãs e o respeito de seus colegas, e pode acabar subindo no ranking dos pesos-leves também.

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube