Menu

Agora pai, Cigano quer título para coroar 'grande momento' que vive em 2017

09 de Maio de 2017

Tudo aconteceu muito rápido na vida de Junior Cigano. Começou a trabalhar aos 10 anos para ajudar financeiramente sua família, o primeiro treino de jiu-jitsu foi aos 21 anos e alguns meses depois foi campeão baiano, venceu nove seguidas assim que entrou no Ultimate e se tornou campeão dos pesados aos 27 anos.
O período com o cinturão durou pouco mais de um ano, e muita coisa mudou desde então. Cigano deixou o Rio de Janeiro com sua esposa Isadora e decidiu ir morar os Estados Unidos para treinar na American Top Team. Alguns meses depois, o casal descobriu que teria o primeiro filho: Bento nasceu em março.

Neste sábado, o brasileiro volta ao octógono para tentar colocar mais um capítulo na sua longa – e rápida – história. Aos 33 anos, Cigano enfrentará Stipe Miocic no UFC 211, em Dallas. Eles já lutaram uma vez, em 2014, quando o ex-campeão dos pesados venceu por decisão dos juízes. Confiante e feliz com o momento que vive, inclusive fora das lutas, Cigano tem certeza que terminará a luta com o cinturão.

“Sou um cara bastante positivo e venho vivendo um ano com bastante coisa acontecendo. Já estava muito motivado no final de 2016, mas a chegada do meu filho e a disputa de cinturão aumentaram ainda mais meu desejo de vencer. As coisas têm acontecido bem na minha vida até o momento e dia 13 de maio espero vencer para confirmar o grande momento que vivo”, disse o brasileiro.

A rorina na casa dos Dos Santos mudou bastante com a chegada de Bento. Cigano passou a não se preocupar apenas em treinar. Ele agora troca fraldas, bajula o seu filho e planeja como será essa nova fase da sua vida. Isadora e Bento chegaram em Dallas nesta terça-feira, mas não devem ir na luta.
Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube | Visite a UFC Store | Baixe o aplicativo do UFC

“Minha vida mudou, já não penso mais nos mesmos sonhos e objetivos que tinha antes. Penso muito mais nos meus filhos. Tudo que eu penso para o meu futuro envolve trazer o melhor para o meu filho. Meus sonhos e objetivos agora têm meu filho vinculado como prioridade. O cinturão vai ser um presente para o meu filho, para celebrar a chegada dele”.

Mas quando subir no octógono, na principal luta da noite, Cigano precisará focar apenas no rival Stipe Miocic. O brasileiro sabe que enfrentará um lutador diferente daquele que ele venceu em 2014, mas tem certeza que também terá novas armas para mostrar quando o árbitro autorizar o combate.

O primeiro confronto entre os dois durou cinco rounds de muita trocação. Miocic até tentou derrubar o brasileiro, mas Cigano mostrou eficiência nas defesas de queda e conseguiu vencer por decisão unanime dos juízes. Neste sábado, ele espera mais uma boa vitória para mostrar que é capaz de recuperar o cinturão dos pesados, tarefa difícil que apenas três atletas conseguiram na história do Ultimate: Randy Couture, Tim Sylvia e Cain Velasquez.

“Sei que o Miocic é um cara duro e o respeito muito, mas tenho muitas condições de vencer essa luta. Ele diz que está vivendo um novo momento, que evoluiu muito, se tornou um lutador melhor. Mas ele não conhece nem 50% do Junior Cigano de verdade. Sei que se conseguir imprimir 100% do meu jogo na luta, venço qualquer adversário”.