Menu

Ronda Rousey faz história e será a primeira mulher no Hall da Fama do UFC

09 de Junho de 2018

O UFC anunciou hoje que a ex-campeã peso-galo do UFC e do Strikeforce, Ronda Rousey será incluída no Hall da Fama do UFC na classe de 2018. A cerimônia de indução ao Hall da Fama do UFC será realizada na quinta-feira, dia 5 de julho, no Palms Casino Resort em Las Vegas.

“Não haveria mulheres no UFC sem Ronda Rousey”, disse o presidente do UFC Dana White. “Ronda é uma verdadeira pioneira que ajudou a mim, pessoalmente, e a muitas outras pessoas, a olhar diferente para as mulheres em combates de esporte. Ela conquistou tudo o que se preparou para fazer no UFC e se tornou um ícone global e se tornou um modelo no processo. Hoje, as divisões femininas estão repletas de lutadores incrivelmente talentosas e elas produzem algumas das melhores lutas que vocês vão ver. Estamos orgulhosos por anunciar Ronda como a primeira mulher no Hall da Fama do UFC”.

Rousey entrará no Hall da Fama do UFC como membro da “Ala Moderna”, se juntando a Forrest Griffin (2013), BJ Penn (2015) e Urijah Faber (2017) como os únicos membros desta categoria distinta. Rousey também se junta a Faber como a segunda atleta a ser incluída no Hall da Fama da divisão peso-galo. A categoria da “Era Moderna” inclui atletas que se profissionalizaram após 17 de novembro de 2000 (quando o primeiro evento do UFC sob as regras unificadas do MMA foi realizado), tenham no mínimo 35 anos e estejam aposentados há pelo menos um ano.

“É uma honra imensa, não apenas participar da entrada das mulheres à frente desse esporte, mas agora no Hall da Fama do UFC”, disse Rousey, “Que eu seja a primeira de muitas”.

Como a primeira lutadora contratada pelo UFC após a compra do Strikeforce, Rousey foi nomeada a primeira campeã peso-galo da organização em novembro de 2012, e estreou no octógono no UFC 157, em 23 de fevereiro de 2013. Ronda venceu Liz Carmouche no primeiro round com uma chave de braço, se tornando a primeira mulher a vencer uma luta no UFC enquanto defendeu seu título no processo.

Veterana de 14 lutas profissionais durante cinco anos de carreira, Rousey, a última campeã peso-galo do Strikeforce e primeira campeã do UFC, somou um cartel de 12-2 e quebrou vários recordes, incluindo suas seis defesas de título consecutivas, maior número de uma campeã na história do UFC. Durante sua passagem pelo UFC e Strikeforce, Ronda venceu sete lutas com chaves de braço, empatada ao lado do membro do Hall da Fama do UFC Rodrigo Minotauro como os atletas que mais venceram desta forma na história combinada de UFC, PRIDE, Strikeforce e WEC.

Uma finalizadora prolífica, Rousey detém os recordes de quatro das cinco vitórias mais rápidas da história do peso-galo feminino no UFC, enquanto suas três vitórias por nocaute são o segundo maior número de uma lutadora na história da divisão. Nenhum outro atleta na história do UFC detém mais do que duas das cinco vitórias mais rápidas de sua respectiva divisão.

A média acumulada do tempo de luta de Rousey no UFC, de 3m06s, é a segunda mais curta na história do UFC (com mínimo de cinco lutas) e sua média de 1m36s de luta no Strikeforce é a mais curta na história da companhia (mínimo de três lutas). A vitória de Rousey com uma chave de braço em 14 segundos sobre Cat Zingano no UFC 184 foi a finalização mais rápida da era moderna e de qualquer disputa de título na história do UFC. Rousey também detém o recorde de finalização mais rápida da história do Strikeforce com seu triunfo em 25 segundos sobre Sarah D’Alelio em 2011.

Como uma das artistas marciais mistas mais completas na história dos combates de esporte, Ronda também detém vários recordes por nocautear suas oponentes. Seu nocaute em 16 segundos sobre Alexis Davis no UFC 175 está empatado como o terceiro mais rápido em uma disputa de título na história do UFC. Por último, seus nocautes em 34 segundos sobre Bethe Correia no UFC 190 e em 1m06s sobre Sara McMann no UFC 170 são o segundo e quarto mais rápidos na história da divisão peso-galo no UFC, respectivamente.

Ronda liderou seis eventos do UFC durante sua carreira, incluindo o UFC 193, em Melbourne na Austrália, em 2015, que, marcou o maior público da história da organização com 56,214 pessoas.

Fora do octógono, a popularidade global de Rousey continuou a crescer com ela sendo reconhecida por seus parceiros de profissão e mídia com alguns dos maiores prêmios do esporte.

Em 2015, Ronda se tornou a primeira atleta de MMA a ganhar um prêmio ESPY de “Melhor Lutador(a)”, e também foi reconhecida pela ESPN com o ESPY de “Melhor Atleta Feminina” em 2014 e 2015, e em 2012 pela “Finalização do Ano” após sua vitória sobre a ex-campeã do UFC Miesha Tate.

Em maio de 2015, a Sports Illustrated reconheceu Ronda como “Atleta Mais Dominante do Mundo”, com ela estampando a capa daquela edição. Mais tarde naquele mês, Ronda também se tornou uma autora publicada com o lançamento de sua autobiografia “Minha Luta, Sua Luta”, que conta seu inspirador caminho de medalhista olímpica no judô a estrela de Hollywood.

Em novembro de 2015, Ronda se tornou a primeira mulher a estampar a capa de um jogo da Eletronic Arts com o lançamento do EA Sports UFC 2 e também fez história como a primeira mulher a estampar a capa da Men’s Fitness Australia.

Enquanto atleta ativa do UFC, Rousey também se tornou uma estrela de cinema, aparecendo em filmes como Os Mercenários 3, Velozes e Furiosos 7 e Entourage: Fama e Amizade, que juntos arrecadaram mais de 1,8 bilhões de dólares mundialmente. Ela também liderou programas populares de televisão e séries em horário nobre, apresentando o Saturday Night Live em 2016 e fazendo uma aparição em Blindspot em 2017. No fim deste ano, Rousey vai co-estrelar Mile 22 com Mark Wahlberg e o nomeado ao Oscar John Malkovich.

Além de atuar, Rousey também atualmente performa no World Wrestling Entertainment, onde compete como uma das maiores estrelas da companhia.

Nascida em Riverside, Califórnia, Rousey começou sua carreira nas artes marciais aos 11 anos, quando começou a treinar judô com sua mãe, AnnMaria, uma judoca altamente decorada que se tornou a primeira norte-americana campeã mundial da modalidade em 1984. Em 2004, aos 17 anos, Ronda conquistou a medalha de ouro nos jogos mundiais juvenis de judô. No mesmo ano, ela se classificou para as Olimpíadas de 2004, se tornando a judoca mais nova a competir nos jogos. Em 2006, Rousey conquistou a medalha de bronze nos jogos mundiais juvenis de judô, se tornando a primeira atleta norte-americana a conquistar duas medalhas na competição. Sua ascensão como judoca continuou em 2007, quando ela ganhou a medalha de ouro nos Jogos Panamericanos e a medalha de prata no Campeonato Mundial de Judô. Em 2008, Ronda conquistou a medalha de bronze nas Olimpíadas, fazendo história como a primeira norte-americana a ganhar uma medalha olímpica no judô feminino desde a entrada do esporte no programa, em 1992. Ao todo, Ronda conquistou mais de 30 medalhas e representou a equipe norte-americana de judô em mais de uma dúzia de torneios internacionais. Ela atualmente reside na Califórnia com seu marido, o peso-pesado do UFC Travis Browne.

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube