Menu

Cigano e Shogun falam sobre preparação para lutar no fuso horário da Austrália

30 de Novembro de 2018

A rotina de um atleta de alto rendimento não é fácil. Tem hora certa para comer, para treinar e para fazer qualquer coisa que possa influenciar no resultado final. Mas e quando o atleta em questão é um lutador que viaja mais de 30 horas para competir e precisa se adaptar até a 12 horas e meia de fuso-horário?

Essa é o caso dos brasileiros que lutarão no UFC Adelaide, neste sábado, a partir de 22h (horário de Brasília) no Canal Combate. Conversamos com Junior Cigano, que enfrenta Tai Tuivasa na luta principal, e Maurício Shogun, luta contra Tyson Pedro, para saber o que altera na preparação para o grande dia.

Com a maioria das suas lutas no Brasil e Estados Unidos, Junior Cigano assume que nunca tinha viajado para tão longe para competir. Ele pegou um avião da Flórida para Dallas e depois outro voo de dezessete horas para a Sidney. Sua equipe preferiu repetir o que fez quando lutaram em Denver, que chegaram dez dias antes para acostumar com a altitude.

"A gente voou em um dos voos mais longos do mundo, mas foi menos chato que eu imaginava. É importante chegar antes para ir se acostumando. Nos primeiros treinos senti um peso diferente, mas agora o corpo já está na engrenagem certa. Tive problema para dormir uma noite também, consegui descansar era quase de manhã, mas depois passou e agora está tudo certo", explica Cigano.

Outro brasileiro no card principal do UFC Adelaide, Maurício Shogun já lutou na Austrália (em 2013, nocauteou James Te Huna) e está acostumado às viagens longas da época em que viajava para o Japão para lutar no extinto Pride.

"A Austrália é um país que curte muito o MMA, então esse sacrifício pelos fãs é um enorme prazer. Mas o corpo estranha o fuso horário diferente. A gente não consegue dormir de madrugada, tem sono no almoço. O começo é realmente complicado, mas a gente faz o máximo para se adaptar".

Shogun explica que junto com sua equipe tenta sempre descansar, fazer refeições e treinar nos horários certos. Ele também cita que é importante manter o corpo em atividade no horário da luta, que na Austrália é logo depois do almoço - no Brasil os atletas costumam lutas de madrugada. "É complicado se adaptar em cinco dias, mas a gente tenta fazer tudo certo para dar um show no octógono". 

Além de Junior Cigano e Maurício Shogun, o UFC Adelaide conta com Wilson Reis enfrentando Ben Nguyen. O evento será transmitido ao vivo pelo Canal Combate às 22h (horário de Brasília).