Menu

Top 10: Melhores nocautes de 2017

05 de Janeiro de 2018

Você quer os melhores nocautes de 2017? Confira nossa lista dos melhores do ano.

Veja também: Melhores finalizaçõesResultados mais surpreendentes | As melhores lutas em janeiro de 2018

1 - Francis Ngannou-Alistair Overeem

Em uma carreira profissional de mais de 18 anos no MMA, Alistair Overeem já foi nocauteado antes. Mas a finalidade com a qual Francis Ngannou colocou a bomba no “Demolidor” foi um daqueles lembretes de que quando pesos-pesados começam a jogar suas mãos, não há lugar mais perigoso para estar no mundo dos esportes que no octógono. Ngannou já era bastante intimidador antes da vitória sobre Overeem em dezembro. Mas quando o dia 2 de dezembro virou o dia 3, o mundo inteiro sabia que o “Predador” era um dos caras mais assustadores do planeta.

2 - Mike Perry-Jake Ellenberger

Não existe ciência por trás de escolher os melhores nocautes nessas listas. Mas todos eles requerem um salto da cadeira seguido por um “UAU” ou um palavrão. Se você conseguir os dois e a distância do salto for grande, esse é um Top 5 com certeza, e é exatamente por isso que a vitória de Mike Perry sobre Jake Ellenberger em abril está aqui. Essa batalha de trocadores meio-médios não era esperada para chegar à decisão, mas não acho que alguém previa a cotovelada de Perry. Ellenberger certamente não previu, e ele apagou já no contato. Assustador.

UFC Belém: Cadastre-se e saiba tudo sobre o evento

3 - Edson Barboza-Beneil Dariush

O mais assustador sobre a trocação de Edson Barboza é que não apenas ele pode nocautear a qualquer momento, como ele atira esses golpes letais sem esforço e sem avisar. Assista os segundos antes de sua vitória sobre Beneil Dariush em março, e parecia que ele estava se aquecendo para uma corrida ao redor da quadra até que Dariush se abaixou para uma queda e Edson pulou conectando uma perfeita joelhada voadora na cabeça. Um dia, vou olhar para a história do UFC para ver em quantas listas como essa Edson entrou, e prevejo que um dia ele será visto como um dos maiores trocadores da história da organização.

4 - Matt Brown-Diego Sanchez

Em um card repleto de grandes lutas em Virgínia, uma delas era a que eu mais aguardava, entre os ex-destaques do The Ultimate Fighter Matt Brown e Diego Sanchez. Mas Brown não estava interessado em uma guerra de três rounds contra o “Pesadelo”. Ele queria acabar cedo o que poderia ter sido sua última luta no octógono, e se realmente fosse sua última luta profissional, que bela maneira de sair de cena, aplicando uma cotovelada devastadora que acabou com a noite de Sanchez e colocou mais um grande momento no vídeo de Brown.

5 - Marlon Moraes-Aljamain Sterling

Um dos confrontos mais intrigantes entre pesos-galo em 2017 deveria ter sido a luta de Marlon Moraes com Aljamain Sterling, mas quando Sterling buscou a queda no começo do duelo em dezembro, “Magic” o encontrou com uma joelhada que colocou um fim imediato à luta. Agora você sabe por que a reputação de Marlon foi construída sobre sua trocação.

6 - Ricardo Ramos-Aiemann Zahabi

Em um card do UFC 217 que continha alguns dos maiores nomes do esporte, essa primeira luta da noite entre os prospectos do peso-galo Ricardo Ramos e Aiemann Zahabi poderia ter sido esquecida. Mas “Carcacinha” não deixou, e aplicou uma assustadora cotovelada giratória que nocauteou Zahabi e abriu caminho para uma das melhores noites de lutas que o UFC teve em 2017.

7 - Holly Holm-Bethe Correia

O mundo estava esperando para ver essa Holly Holm novamente, e em junho, após uma sequência de lutas em que ela foi competitiva, mas não espetacular, ela trouxe o espetáculo de volta nocauteando Bethe Correia com um chute na cabeça. Não foi apenas uma grande vitória por ter encerrado uma sequência de três derrotas da ex-campeã peso-galo, mas porque lembrou a todos o quão perigosa pode ser uma das maiores trocadoras da história do esporte quando ela está em seus melhores dias.

8 - Marc Diakiese-Teemu Packalen

Deve ser desanimador enfrentar um cara como Marc Diakiese quando ele está no ritmo, confiante e ciente de que você não será capaz de trocar com ele por muito tempo. E se ele começar a sorrir, como fez em março contra Teemu Packalen, é aí que você precisa buscar a queda, a saída, ou ambos. Packalen não teve essa chance, no entanto, já que Diakiese atirou um míssil de direita que o apagou, com o fim da luta vindo em apenas 30 segundos de luta.

9 - Damir Hadzovic-Marcin Held

Damir Hadzovic causou uma boa impressão em sua estreia no UFC em 2016 antes de ser derrotado por Mairbek Taisumov, mas demorou um ano até que ele retornasse para enfrentar Marcin Held em maio, e, por dois rounds, todo seu ataque foi refutado. Ele precisou de um terceiro round para vencer, mas foi com apenas sete segundos, quando ele encontrou Held com uma joelhada em uma tentativa de queda, e o jogo acabou. Isso é uma lição para você - não desista.

10 - Kelvin Gastelum-Michael Bisping

Muito foi falado sobre Michael Bisping aceitar uma luta de última hora contra Kelvin Gastelum apenas três semanas após ser finalizado por Georges St-Pierre no UFC 217 e se isso foi um fator para que ele tenha sido nocauteado por Gastelum. Mas após uma bateria de testes liberar o “Conde”, ele foi acertado por um gancho de esquerda de Gastelum que acredito que teria derrubado qualquer peso-médio no mundo. De onde eu vejo, Bisping poderia ter tido seis meses de treinos para Gastelum, e se ele foi acertado por aquela esquerda, o fim teria sido o mesmo. Foi um golpe perfeito.

Menções honrosas - Alessio Di Chirico-Oluwale Bamgbose, Derek Brunson-Lyoto Machida, Rose Namajunas-Joanna Jedrzejczyk, TJ Dillashaw-Cody Garbrandt, Ovince Saint Preux-Corey Anderson, Nordine Taleb-Danny Roberts, Gokhan Saki-Henrique da Silva

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube