Menu

UFC 230: Fatos para a história

05 de Novembro de 2018

Possivelmente a arena mais famosa do mundo, o Madison Square Garden em Nova York recebeu no último sábado uma edição do UFC pela terceira vez, esta encabeçada pela coroação de Daniel Cormier, que fez sua primeira defesa do cinturão dos pesos-pesados ao finalizar Derrick Lewis na luta principal.

Estes foram alguns dos pontos mais importantes do UFC 230:

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por UFC (@ufc_brasil) em 4 de Nov, 2018 às 11:05 PST

DC pioneiro
Daniel Cormier foi o quinto lutador na história do Ultimate a conquistar cinturões em mais de uma divisão de peso, mas se tornou o primeiro a defender em ambas no último sábado. DC havia dito que achava estar um nível acima de Derrick Lewis, e provou exatamente isso como uma performance dominante sobre o desafiante, que havia vencido nove de seus 10 últimos combates.

O triunfo coroa um 2018 espetacular para o duplo campeão, que começou defendendo o título dos meio-pesados com nocaute técnico sobre Volkan Oezdemir em janeiro, conquistou o dos pesados em julho, nocauteando Stipe Miocic, e encerra com finalização sobre Lewis, colocando seu nome de uma vez por todas entre os maiores da história do MMA.

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por UFC (@ufc_brasil) em 4 de Nov, 2018 às 3:04 PST

A virada de Jacaré
Nos mais de 15 anos de carreira, Ronaldo Jacaré nunca havia sofrido duas derrotas consecutivas. Mas, após ser superado por Kelvin Gastelum em maio deste ano, esta sina parecia prestes a mudar ao fim de dois rounds da luta contra Chris Weidman no último sábado. Em um duelo entre dois especialistas na luta agarrada disputado inteiramente em pé, o ex-campeão dos pesos-médios levava a melhor sobre o brasileiro até que Jacaré tirou um golpe certeiro da cartola, nocauteando instantaneamente o “All-American” e conquistando um triunfo que o coloca novamente perto de uma disputa de cinturão.

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por UFC (@ufc_brasil) em 3 de Nov, 2018 às 7:57 PDT

Nada de “novo alguém”; simplesmente Israel Adesanya
Sempre que um jovem atleta começa a despontar em qualquer esporte, é comum que as comecem a compará-lo com estrelas consolidadas. Com Israel Adesanya não foi diferente. O kickboxer neozelandês de origem nigeriana, com longa envergadura e trocação criativa, rapidamente foi associado a nomes como Anderson Silva e Jon Jones no início de sua trajetória no Ultimate, mas após a vitória esmagadora por nocaute sobre Derek Brunson no último final de semana, seu nome deve ser mais valorizado. Ao superar de forma tão dominante o então sexto colocado no ranking dos médios, Adesanya superou o status de promessa e se tornou realidade. E uma realidade muito perigosa para qualquer um na divisão.

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por UFC (@ufc_brasil) em 3 de Nov, 2018 às 4:08 PDT

Noite feliz para os brasileiros
Considerados azarões nas bolsas de apostas, Sheymon Moraes e Marcos Pezão “quebraram a banca” no card preliminar do UFC 230. O primeiro venceu uma batalha sangrenta contra Julio Arce, encerrando uma sequência de sete triunfos consecutivos do adversário; o segundo, voltando aos pesos-pesados após quatro anos, mostrou novos recursos adquiridos em mais de 16 meses fora de ação e superou Adam Wieczorek, que, por sua vez, não perdia há nove combates.

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube