Menu

Wilson Reis supera perda do irmão e quer homenageá-lo com vitória em Glendale

12 de Abril de 2018

A luta entre Wilson Reis e John Moraga, pelo peso-mosca, neste sábado (14) no UFC Glendale, terá um significado especial para o brasileiro.

Isso porque, no início da preparação para o combate, Wilson foi surpreendido com o falecimento precoce de seu irmão mais novo em um acidente de moto no interior de São Paulo.

“Foi uma fatalidade muito grande”, contou o lutador em conversa com a reportagem do UFC Brasil, “Tive que sair correndo para dar tempo de ver ele, o velório e tudo. Veio a tristeza, e ao mesmo tempo a motivação, porque meu irmão era muito fã de luta, ele foi o que mais ficou orgulhoso quando assinei com o UFC”.

Mais UFC Glendale: Durinho avisa que vai finalizar | Enquete: Condit ou Cowboy? | As promessas do evento | Dhiego Lima promete 'meter a mão' | Confira o card completo 

Mas o ex-desafiante ao cinturão dos moscas não permitiu que a tristeza o dominasse e fez da tragédia um estímulo a mais para dar tudo de si nos treinamentos como forma de homenagear seu irmão.

“Vou seguir mais firme e forte e mais motivado ainda por ele”, disse, “Era um cara que torcia muito por mim e com certeza vai estar olhando por mim. É algo que me abalou muito, mas depois que passou a fase difícil, as primeiras semanas, consegui focar em terminar os treinos e com a motivação de lutar pelo meu irmão, que com certeza vai estar torcendo muito por essa vitória”.

Do outro lado do cage estará um embalado John Moraga, que se reabilitou na categoria com duas vitórias em seus dois últimos combates e, após voltar ao Top 10, quer usar o brasileiro como trampolim para vôos mais altos.

“O Moraga é um cara que eu acho completo, mas estou super tranquilo, vou usar todo meu jogo de striking, muay thai, jiu-jítsu para estar sempre buscando um espaço tanto para pontuar e nocautear em pé, quanto para derrubar e finalizar”, disse Wilson, “Estou com uma estratégia bem montada para fazer ele expor e fazer o meu jogo”.

Aos 33 anos, o mineiro, que foi vítima do campeão Demetrious Johnson em abril de 2017, sonha com uma nova oportunidade de brigar pelo título do Ultimate. E está com um planejamento bem definido para que isso aconteça.

“Voltar a disputar o cinturão é o que eu mais quero, e tenho que ganhar as lutas certas. O primeiro passo é ganhar essa luta contra o Moraga e desafiar o Top 5 da categoria. Acho que estou a duas ou três lutas importantes, contra os caras certos, de voltar a disputar o cinturão”, disse Wilson, que já sabe até quando quer voltar à ação, “Depois dessa luta, quero muito lutar no UFC de Los Angeles (UFC 227, dia 4 de agosto), então espero que alguém do Top 5 esteja vago”.

Olho nela!

Parceira de equipe de Wilson na Alliance MMA em San Diego, na Califórnia, a norte-americana Lauren Mueller fará sua estreia no octógono neste sábado, no duelo contra Shana Dobson pelo peso-mosca.

Segundo o brasileiro, é melhor prestarmos bastante atenção em Mueller.

“A Lauren é uma atleta forte para a categoria e acho que vai dar um grande show”, avisou Wilson, “Ela é uma mulher agressiva. Ela vem mais do wrestling, mas está focando muito na parte de trocação na academia. Vai ser uma luta que a galera vai gostar de ver. Ela lutou muito bem no Contender. Ela vai sempre para frente, tem uma boa parte de muay thai, joelhadas, cotoveladas, então acho que ela vai surpreender a galera”.

Assine o Combate | Siga o canal do UFC no YouTube